Final de ano, mais e-commerce e mais fraudes também

O último trimestre do ano é, sem dúvida, o período mais movimentado para o nosso comércio, pois nele concentram-se datas comemorativas importantes: “Dia das Crianças”, “Black Friday” e “Natal”.

Vale registrar que também é quando o 13º salário é pago. Tudo isso faz com que o movimento, tanto nas lojas físicas quanto nas virtuais, cresça significativamente.

Por conta do grande volume de vendas que ocorre no período, aumentam também as chances de ocorrência de fraudes nas transações eletrônicas. Com isso, as empresas mais descuidadas perdem muito dinheiro.

Ano de pandemia, explosão do comércio eletrônico

Estudo publicado pela consultoria digital ClearSale aponta que 2020 foi um ano de aumento exponencial nas vendas por e-commerce. O comércio digital cresceu 73,8% em relação a 2019. Porém, o volume das operações fraudulentas subiu 53,6%. Normalmente, quando há um período de grande concentração de vendas, as pessoas mal intencionadas ficam atentas para as várias oportunidades de fraude que surgem no mercado.

As empresas se preparam para aproveitar o momento e vender mais”, diz o CEO da agência de inteligência de dados PH3A, Paulo César Costa. “A inteligência do comércio virtual no final do ano é voltada para mais vendas e não para mais segurança nas transações. Os fraudadores observam essa situação e aproveitam as brechas”, finaliza Paulo César.

O fato importante é que as violações de dados e enganações roubam uma fatia significativa das receitas das empresas. Os golpistas violam dados, fazem pedidos aparentemente corretos, simulam pagamentos perfeitos, enganam os sistemas e recebem os produtos. Enfim, se aproveitam dos espaços deixados para cometer crimes digitais.

Processo permanente de aprimoramento da segurança eletrônica

Se esses eventos fraudulentos são inevitáveis, as empresas precisam se preparar para enxergá-los a tempo, preparar seus sistemas, seu relacionamento com clientes, especialmente os novos. Os mecanismos de inteligência e segurança eletrônica são fundamentais para diminuir a perda de receita causada pelos criminosos de plantão.

As ferramentas mais eficazes nesse sentido trabalham integrando informações do contexto pontual da venda com outras plataformas de informações. Eles fazem links com sistemas de DataBase e obedecem a regras e mecanismos de permissão e validação de dados. Quanto mais regras a seguir e mais inteligência de dados, mais seguro será o sistema.

Características imprescindíveis de um e-commerce seguro

Os sites de comércio eletrônico investem na divulgação de seus produtos e ofertas, captam tráfego pago ou orgânico, mas precisam se preparar para os fraudadores do outro lado da tela. Algumas qualidades de segurança são imprescindíveis, a saber:

Um grande BigData depurado e atualizado gera informações confiáveis

As plataformas de informações prévias precisam ser ricas e atualizadas. Quanto mais bem trabalhada e organizada for a base de dados, mais informações úteis ela vai oferecer para as ferramentas de inteligência artificial no processo de análise.

Critério na análise de crédito

As informações vindas do preenchimento de formulários pelo cliente são consideradas em tempo real com as informações do DataBase, mas também passam por fórmulas numéricas para aprovação ou reprovação dos novos cadastros.

Cálculo de Score serve como mais um filtro importante

Cada cliente tem um índice calculado em função de diversas informações que ele fornece na ocasião da compra e também considera outras informações prévias. O score passa a ser uma referência importante para filtrar dados e criar o perfil mais exato do consumidor, eliminando possibilidades incompatíveis de crédito.

Segmentação de dados é mais um critério importante

Os clientes fornecem informações importantes que podem auxiliar na segmentação de perfil. Com a separação de grupos de acordo com critérios específicos – especialmente ligados a dados geográficos e telefônicos –, o sistema cria fluxos e perfis diferenciados e capta situações estranhas.

Outros critérios de clientes potenciais

A inteligência do sistema avalia de forma automática outros vários critérios para permitir ou não a continuidade da transação. Por exemplo, os dados relativos à região, idade, sexo, escolaridade, constroem um poderoso filtro adicional e permite mais uma forma de análise e segmentação de grupos.

O fator-surpresa em forma de perguntas ao golpista

O fraudador mais preparado conta com informações e possivelmente equipamentos de tecnologia para enganar os sistemas. Então, uma etapa a mais é implementada nos sistemas seguros, na forma de perguntas e respostas sobre detalhes da vida do comprador.

Assim, a arma extra do sistema seguro é o questionário preparado para o cliente. Naturalmente, ao falar sobre detalhes de sua vida no presente ou no passado, a pessoa de boa-fé vai responder cada pergunta sem problemas. Já o fraudador pode demorar a responder, pode pular perguntas ou errar respostas, o que gera pontos críticos de alerta na análise, evidentemente criando um apontamento de reprovação fornecido pela ferramenta.

Além de perguntas com detalhes difíceis para o fraudador, aqui entra o fator-surpresa, que costuma ser dispensado pelos golpistas. Ao chegar no momento dos questionamentos inesperados, eles podem abandonar a operação, o que também configura elevada suspeita de fraude, praticamente uma confirmação. E a transação é prontamente abortada.

Expertise em DataBase aumenta a segurança da transação eletrônica

Convém sempre frisar que todos os fatores de segurança são importantes, às vezes um complementa ou potencializa o outro. Além disso, é importante constatar que a proteção de dados não vem de novatos ou aventureiros de Internet. Segurança de dados é coisa séria e pode evitar grandes perdas financeiras. Quanto maior for a solidez e expertise do grupo que faz a estrutura e lógica de proteção de dados, mais segura será a operação.

Solidez e idoneidade são elementos indispensáveis ao staff de segurança de operações eletrônicas. A estrutura mais adequada e eficaz é feita por especialistas em ações específicas e inteligentes dos sistemas de segurança integrados às grandes plataformas de dados. Nesse contexto, não é momento de arriscar.

Hora de se preparar para as vendas de fim de ano

Considerando que neste período de final de ano há um grande aumento nas compras feitas pela Internet, principalmente com a aproximação do Natal, mais do que nunca é hora de investir em inteligência de dados para garantir que os investimentos feitos ao longo do ano deem o retorno desejado, sem bolhas ou buracos na operação. Assim, a empresa cresce e os bons resultados chegam naturalmente.

Deixe seu comentário