O Big Data é o recurso que oferece as maiores oportunidades de crescimento para as empresas desde a popularização da internet doméstica, há duas décadas. Aliada ao marketing e às vendas, essa profusão de dados pode fornecer tudo o que é preciso para a marca readaptar suas estratégias — e atingir o sucesso!

No campo organizacional, sai na frente a companhia que é capaz de lapidar as informações brutas obtidas em diversos canais, extraindo delas certos pontos interessantes.

Quais os anseios dos seus consumidores? O que eles enxergam como vantagens e defasagens na sua empresa em relação às concorrentes? A sua marca fala a mesma língua do seu cliente potencial? Todas essas questões são respondidas pela análise de Big Data.

Quer aproveitar o recurso nos planos de ação do seu time de vendas? Damos as melhores dicas neste post. Continue a leitura e acompanhe!

Qual a relação do Big Data com as vendas?

Aplicar o Big Data é garantia de bons resultados em diversos departamentos da sua empresa. A McKinsey, referência em consultoria nos Estados Unidos, mensurou o que o mercado já intuía: com a contratação de um profissional em análise de dados, o caixa das empresas viu um aumento de 15% no faturamento.

Entretanto, mesmo diante de indicadres positivos, muitos gestores de marketing e CEOs do Brasil ainda ficam com o pé atrás na hora de implantar a mineração de dados. Isso provoca o atraso da marca frente a suas concorrentes e, por consequência, a perda gradativa da competitividade.

O Big Data é uma boa escolha para a sua empresa, capaz de impactar todo o seu processo de vendas. Saiba como aproveitar o recurso em suas estratégias.

Vendarketing

Não se assuste com o termo! Talvez você já tenha ouvido falar em smarketing — e o vendarketing nada mais é do que sua tradução. O conceito — tendência entre as corporações que são referência em seus mercados — propõe unir os setores de marketing e vendas da empresa, em vez de deixá-los em desalinho.

Sem um plano que proponha o casamento dos departamentos, as ações da marca perdem eficiência. Isso porque o marketing não tem só a função de divulgar a organização, e a equipe de vendas não serve só para fechar negócio com o cliente.

Esses dois braços empresariais têm, na verdade, o objetivo de prospectar clientes, conhecer profundamente os anseios de seus consumidores e ofertar o que o público busca. Esse trabalho é otimizado pelo Big Data.

O recurso permite observar o comportamento da persona e estudar detalhadamente seus problemas. A empresa fica, então, pronta para se antecipar ao cliente e conquistá-lo com as melhores ofertas de produtos e serviços.

Mapeamento da jornada de compra

A jornada de compra é a experiência do cliente potencial desde seu primeiro contato com a marca, passando pelo período de qualificação até o fechamento da compra.

O empreendedor que está atento aos processos organizacionais sente a necessidade de identificar os momentos determinantes para a decisão de compra do consumidor. Assim, pode mapear as fases de contato dele com a empresa e determinar as melhores abordagens — inclusive para os times de marketing e vendas, como mencionado anteriormente.

O Big Data permite identificar os pontos mais significativos da jornada de compra e analisar a experiência do usuário, tornando essa estratégia uma propulsora do sucesso empresarial. Não só mais leads são gerados, como a carteira de clientes pode ser qualificada e fidelizada.

Controle do churn

A taxa de churn consiste na taxa de clientes que cancelam a assinatura de um serviço oferecido pela empresa. A disparidade entre a taxa de adesão e a taxa de churn pode mostrar um cenário positivo ou negativo, a depender das proporções. Quanto maior o churn, mais certo que o seu cliente está se frustrando no processo de compras.

O Big Data, com a análise de comportamento do consumidor, consegue indicar a intenção de cancelamento dos serviços. O mapeamento permite perceber, por exemplo, se o cliente curtiu o seu concorrente nas redes sociais, se há reclamações recorrentes no SAC, avaliações medianas sobre os serviços da sua empresa e outros pontos.

Como aumentar as vendas com Big Data?

Propagação da marca no ambiente on-line

Uma empresa que não marca presença nas redes sociais e nos principais buscadores corre sérios riscos de passar despercebida por seus consumidores. Marcar presença na rede é essencial em uma era com tamanha informatização.

O Big Data ajuda a propagar a sua marca no ambiente on-line a partir de análises do perfil do seu consumidor potencial. Compreendendo as características do seu cliente, é possível readaptar suas estratégias e modelar a linguagem a fim de se aproximar do prospect.

Desenvolver um relacionamento com o seu público é essencial em tempos de intensa disputa por mercado consumidor. Sai na frente a marca que estreita seus laços com o comprador e, claro, para se aproximar dele é preciso conhecer seus anseios.

O Big Data Analytics é justamente esse processo de analisar as microinformações deixadas pelo consumidor no ambiente on-line para compreender seus hábitos, problemas e desejos. Todas as informações são aproveitadas nas estratégias de vendas.

Identificar novas oportunidades

O Big Data inclui a análise das ações dos seus clientes na web. O seu consumidor tem feito pesquisas recorrentes sobre um produto? Ou ele está buscando na rede a solução de um problema? Sabendo o que o seu cliente deseja, fica mais fácil oferecer as soluções pelas quais ele anseia.

Invista na análise de Big Data. Isso permitirá identificar novas oportunidades de negócio. Não só o seu mix de produto, sua oferta e serviços podem ser remodelados, como também possíveis clientes serão identificados facilmente a partir das informações deixadas na rede.

Análises profundas sobre o consumidor

Otimizar as estratégias de vendas na empresa não significa somente prospectar novos consumidores. Aqueles que já estão ativos na sua carteira de clientes devem ser pensados nos planos de fidelização da marca.

Custa menos para a empresa manter seus compradores ativos e consumindo do que angariar novas pessoas interessadas em seus serviços. Novamente, para elaborar planos de ação que surtam efeito e que conquistem o consumidor, é preciso conhecê-lo.

Com o Big Data, análises profundas do perfil do cliente são possíveis. Mais do que seu tíquete-médio, hábitos de compra e frequência de consumo, é possível entender problemas mais profundos.

Quais suas expectativas em seu produto ou serviço? Como ele se comporta nas redes? O quanto ele usa a internet? Tudo pode ser entendido com a análise do Big Data.

Para analisar o Big Data e definir o perfil da sua persona, é preciso encontrar uma parceira de qualidade. Busque uma empresa de tecnologia que seja referência no mercado e dedique a ela as minerações e análises dos dados encontrados.

Gostou das nossas dicas? Fique por dentro de mais conteúdos relevantes assinando a nossa newsletter!